1 de fev de 2016

Sobre o restinho de Janeiro e a faculdade



E Janeiro acabou ...

Não precisa nem dizer que e não conseguir cumprir todas as metas. Mas sem cobranças, Fevereiro tá ai para recomeçar de novo. Janeiro foi bem corrido, Mufasa acabou adoecendo e precisa de alguns remedinhos e eu corri contra o tempo por causa da auto escola. Mas em fim, passou.

Fevereiro trás consigo, além do filme do Deadpool, que sim, eu estou louca para assistir, trás a volta às aulas. Sim, já chegou o 5º período de direito. Mas estou sossegada, decidi me focar mais nos direitos humanos, perincipalmente das minorias. Comecei até a ler um livro para a ajudar no meu projeto sobre a Culpabilizaçao das vitimas de estupro. E minha professora recomendou tentar uma vaga de monitoria, já que eu pretendo seguir carreira na área acadêmica.

Como hoje foi a primeira ala, não tivemos assunto, mas tirei umas fotinhas lindas. 

 



Eu de vestidinho, Ana e Gabi


Porque foto no banheiro é o que há
Não nos julgue


Sobre filmes: Eu assisti Busca Implacável e The Salvation recentemente, e eu simplesmente amei os dois. O primeiro vocês devem conhecer, é a história de um pai que vai atrás dos sequestradores da filha. O segundo é sobre um homem em busca de vingança no faroeste. Me surpreendi com os dois e recomendo ambos!

Trailer do The Salvation, um filme de faroeste completamente surpriendente. Achei meio na linha de Tarantino, por isso adorei, Conta com Mads Mikkelsen no elenco e com Eva Green


Trailer de Taken, ou Busca Implácavel, com o talentoso Liam Neeson


Sobre livro: Como já disse, estou lendo Sexo e Violência, realidades antigas e questões contemporâneas. Assim que termina-lo, faço uma mini resenha. 

Sobre música: Escolho o cd Ultraviolence de Lana del Rey, perincipalmente a música Shades off Cool

Sobre Mufasa: Ele não para de crescer e de comer. E sim, ele mudou totalmente minha rotina, e eu só tenho a agradece-lo. Nunca pensei que gostaria tanto de uma coisinha como ele. Agora tá um pouquinho complicado, ele tá tomando 3 remedinhos por dia e odeia isso. Mas é para o próprio bem dele. 


Sobre fotos: São bem simples, tirei no condomínio mesmo, mas amei elas.






31 de jan de 2016

Querida eu - Uma carta para você de 10 anos atrás.



Então, eu estou participando do desafio: 12 cartas em 12 meses. Que consiste em você escrever escrever uma carta por mês do tema dado. Fui indicada pela Ana, do Nada Terráquea, e se sintam a vontade para participarem também!


Janeiro: uma carta para você no passado, há 10 anos atrás

Fevereiro: uma carta para um personagem fictício

Março: uma carta de agradecimento

Abril: uma carta para um desconhecido

Maio: uma carta para nunca ser enviada

Junho: uma carta para a infância

Julho: uma carta de revolução

Agosto: uma carta ao seu reflexo no espelho

Setembro: uma carta aos seus sonhos

Outubro: uma carta à sua melhor amiga / ao seu melhor amigo

Novembro: uma carta de perdão

Dezembro: uma carta de despedida




E agora a primeira carta:
Aracaju, 31 de Janeiro de 2016


Bem, a primeira coisa que você deve estar pensando é “Nossa uma carta do futuro!”. É, mais ou menos isso. Eu sou você do futuro, enquanto você vai fazer 10 anos, eu já vou fazer 20. E por meio dessa carta, tenho alguns conselhos para você. (Ei, assista de volta pro futuro, é muito engraçado, mas não perca tempo com Ghostbusters, você não vai gostar).

O primeiro é, para de usar seu cabelo assim! O seu cabelo é cacheado, então não o penteie seco, e pare de enxarca-lo de creme! Você acredita que levamos quase 8 anos para aprender a cuidar dele? A minha dica é, lave ele um dia sim outro dia não com um shampoo bem levinho e um bom condicionador, penteie no banho (isso vai te poupar de uma dor) e uma vez por semana hidrate ele. 

Voilà! E não ligue para quando te chamarem de louca por causa do seu cabelo cheio, ele é lindo!

Segundo, você só tem 10 anos, por que quer usar tanto base? Você ainda tá muito novinha, desencane disso. Ah sim, daqui há mais ou menos 1 ano vai começar o pior momento da sua vida. Eu só quero que você não fique calada, não esconda de ninguém o que você vai passar, e o mais importante, você não é nada disso que vão te falar, você é uma garota incrível. E por falar nisso, termine suas histórias, e não tenha medo de publicá-las.

Pratique algum esporte pelo amor dos deuses! Até hoje somos sedentárias. Entre em mais concursos literários, leia Harry Potter e Percy Jackson, acredite em mim, você vai gostar.

Tente não desistir tão fácil das coisas. E se permita. Por favor se permita. Você passou quase 9 anos para voltar a usar short na rua, e vá por mim, você queria usar antes.

Pesquise um pouco sobre feminismo, e como isso vai mudar sua vida. Acredita que agora você vai para praia e para piscina sem ser de roupa? Só com maiô. Sim, você aprendeu a amar seu corpo aos poucos. E isso é maravilhoso!

Economize dinheiro, pare de gastar tanto. Você vai ver como conseguirá comprar o que você realmente quer e gosta (aproveite e pare de comprar tanta camiseta, a gente tem até demais hoje).

Você não vai ser aquela jovem que tanto sonhou, você vai ser melhor.

Não ligue para o que os outros falam, faça o curso que você quiser! Termine as aulas de inglês e aprenda mais 3 línguas, queremos ser diplomatas agora.

Assista Pulp Fiction e Busca implacável (quando lançar), eu não acredito que demoramos tanto para assisti-los.

Ah, pesquise uma duas coisas chamadas Star Wars e Star Trek.

E por fim, não se importe coma a opinião dos outros. Você vai encontrar amigos incríveis no futuro. Seja o que você quiser ser!

Por enquanto eu acho que é só, daqui há uns dez anos te mando outra carta.

P.S.: Você finalmente vai ter um gatinho lindo. O nome dele é Mufasa

P.S.S.: Não compre aquela Susi, você nem vai usar ela.

P.S.S.S.: O numero da loteria é 10  27  40  46  49  58.

Encarecidamente, Você

14 de jan de 2016

Sobre sentir demais e não sentir.


Você pode sentir demais quando são 1;34 da manhã. Ou você pode sentir de menos. A casa toda adormecida, o silêncio quase visível e o ar está pesado. Você se acorda, as vezes com os olhos molhados (mesmo não se lembrando de ter chorado) e reza para que quando olhar para o visor do celular já seja umas 4 ou 5 da manhã, mas não é. 


O vazio antes só na casa, faz parte de você agora. Então resolve juntar toda a sua força e levantar da cama (tortura maior era ficar nela observando o escuro se transformar em sombras, as sombras em vultos, os vultos em uma pessoa, e essa pessoa em você). Em silêncio você bufa e passa a mão pelo seu rosto, ainda inchado. Tateia o chão frio no escuro a procura dos seus chinelos.


Sai do quarto e vaga sem rumo pela casa, como se fosse uma alma penada em seu eterno castigo.


Sua mente inquieta não te deixa fazer nada, então você se senta no sofá e espera, espera até tudo se acalmar dentro de você, porque dormir agora não é uma opção, você está sentindo demais ou não sentindo. 


Mas não existe uma hora para sentir demais ou não sentir.  E é isso que mais te  assusta, e é com isso que você sofre mais, a incerteza (ou expectativa?) é uma alma que te assombra, é o peso presso ao seu tornozelo. Aparece sabe? Sem fazer cerimônia, sem perguntar se você está bem, só surge. E só você sabe como é difícil explicar isso. De uma hora para outra você só não quer mais ficar. De uma hora  você é uma estranha naquele ambiente.


O afundar já é corriqueiro.



Eu me lembro quando o meu sentir começou a virar o sentir de menos. Foi a mais ou menos 8 anos.
Eu não queria mais ir a escola, eu não queria sair de casa, eu só não queria.
Quando você não sente, algo se esvazia por dentro, algo tira sua vontade, tira sua força. Você se esforça mais ainda parece que está amarrada a uma corda de coisas ruins. Você tenta, tenta, as vezes consegue sair, mas as vezes não. E o pior de tudo, é que as pessoas acham que é culpa sua. "Que  você deveria se esforçar mais".
Mas eu sei que você se esforça, eu sei o quanto você perde por está assim. Uma parte da sua vida não é mais sua. Mas eu prometo que um dia isso passa.
Depois eu percebi que comecei a sentir demais. E a tranquilidade se vaiou, a perturbação entrou sem pedir licença.
Um monte de "se você fizer isso, vai acontecer isso" surgiu na minha vida.
Uma inquietação.Uma guerra dentro de você entre a razão e a loucura (?)
Ou as vezes nem é isso.
O sentir demais pode ser você sentir o que a outra pessoa sente. A famosa empatia, que pode virar algo não tão bom quando você chora até vendo uma imagem. E tem que esconder isso para não virar a piada da semana.
E quando você acha que não consegue mais sorrir. Algo pequeno, algo minimo para outra pessoa, lhe dar o maior sorriso do mês. E você descobre que a felicidade ainda existe. 

13 de jan de 2016

Uma novidade com quatro patas.





Seis dias... Eu fiquei seis dias sem postar por dois bons motivos. O primeiro motivo foi que eu finalmente gravei um vídeo para o canal! Eu já tinha gravado ano passado, mas nenhum para esse ano, então transformei a resenha do livro A traição de Natalie Hargrove em um vídeo, que vocês podem conferir aqui:


P.s.: No próximo vídeo já vai vim com a vinheta do canal! E será sobre distopias adolescentes, então para não perder ele, corram lá no canal e se inscrevam!

                                        
Agora vamos para a segunda novidade! Há um certo tempo eu queria muito adotar um gatinho, principalmente depois que meu hamster. o Perebas, tinha morrido Eu me sentia muito sozinha na casa, então andei pesquisando muito antes de adotar um novo bichinho, mas meus pais já tinham dito que por eles não queriam nenhum outro. O tempo foi passando e eu tinha colocado na minha cabeça que só poderia ter um gato quando eu me mudasse para uma casa só minha.

Então em uma bela tarde de sábado, eu mostrei como um gato só traria felicidade para nós, e não é que eles se convenceram? O primeiro passo tinha sido dado, agora só faltava eu encontrar um gato para adotar (mão sou muito fã de comprar bichinhos), e não é que eu fiquei sabendo por uma amiga que um amigo da minha mãe tinha encontrado dois gatinhos abandonados na rua? 

Minha espera acabou, segunda eu fui busca ele na sementeira, mas ainda estava muito receiosa, tinha medo dele ser arrisco, não gostar de humanos. Mas foi só eu me aproximar dele que ele já veio brincando! E foi assim que Mufasa me escolheu para ser sua dona!

Planejando como ele vai dominar o mundo


P.s.: Em breve estará saindo um post de porque adotar um gatinho e os primeiros cuidados!